quinta-feira, 7 de julho de 2011

Pam pam pammm- Musica contra o câncer.

Li essa reportagem e  fiquei pasma, pelo resultado e pela falta de cultura das células cancerígenas, onde viu morrer ao ouvir musica clássica, que falta de compostura, bem que dizem que elas são descontroladas.  elas devem gostar de funk. Ixclusive, o preferido deve ser aquele cujo refrão é: Ah! Elas estão descontroladas... Ainda bem que tirando duchi-duchi(musica eletronica), gosto de um tudo...

Células tumorais expostas à "Quinta Sinfonia", de Beethoven, perderam tamanho ou morreram



RIO - Mesmo quem não costuma escutar música clássica já ouviu, numerosas vezes, o primeiro movimento da "Quinta Sinfonia" de Ludwig van Beethoven. O "pam-pam-pam-pam" que abre uma das mais famosas composições da História, descobriu-se agora, seria capaz de matar células tumorais - em testes de laboratório. Uma pesquisa do Programa de Oncobiologia da UFRJ expôs uma cultura de células MCF-7, ligadas ao câncer de mama, à meia hora da obra. Um em cada cinco delas morreu, numa experiência que abre um nova frente contra a doença, por meio de timbres e frequências.
A estratégia, que parece estranha à primeira vista, busca encontrar formas mais eficientes e menos tóxicas de combater o câncer: em vez de radioterapia, um dia seria possível pensar no uso de frequências sonoras. O estudo inovou ao usar a musicoterapia fora do tratamento de distúrbios emocionais.
- Esta terapia costuma ser adotada em doenças ligadas a problemas psicológicos, situações que envolvam um componente emocional. Mostramos que, além disso, a música produz um efeito direto sobre as células do nosso organismo - ressalta Márcia Capella, do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, coordenadora do estudo.
Como as MCF-7 duplicam-se a cada 30 horas, Márcia esperou dois dias entre a sessão musical e o teste dos seus efeitos. Neste prazo, 20% da amostragem morreu. Entre as células sobreviventes, muitas perderam tamanho e granulosidade.
O resultado da pesquisa é enigmático até mesmo para Márcia. A composição "Atmosphères", do húngaro György Ligeti, provocou efeitos semelhantes àqueles registrados com Beethoven. Mas a "Sonata para 2 pianos em ré maior", de Wolfgang Amadeus Mozart, uma das mais populares em musicoterapia, não teve efeito.
- Foi estranho, porque esta sonata provoca algo conhecido como o "efeito Mozart", um aumento temporário do raciocínio espaço-temporal - pondera a pesquisadora. - Mas ficamos felizes com o resultado. Acreditávamos que as sinfonias provocariam apenas alterações metabólicas, não a morte de células cancerígenas.
"Atmosphères", diferentemente da "Quinta Sinfonia", é uma composição contemporânea, caracterizada pela ausência de uma linha melódica. Por que, então, duas músicas tão diferentes provocaram o mesmo efeito?
Aliada a uma equipe que inclui um professor da Escola de Música Villa-Lobos, Márcia, agora, procura esta resposta dividindo as músicas em partes. Pode ser que o efeito tenha vindo não do conjunto da obra, mas especificamente de um ritmo, um timbre ou intensidade.
Em abril, exposição a samba e funk
Quando conseguir identificar o que matou as células, o passo seguinte será a construção de uma sequência sonora especial para o tratamento de tumores. O caminho até esta melodia passará por outros gêneros musicais. A partir do mês que vem, os pesquisadores testarão o efeito do samba e do funk sobre as células tumorais.
- Ainda não sabemos que música e qual compositor vamos usar. A quantidade de combinações sonoras que podemos estudar é imensa - diz a pesquisadora.
Outra via de pesquisa é investigar se as sinfonias provocaram outro tipo de efeito no organismo. Por enquanto, apenas células renais e tumorais foram expostas à música. Só no segundo grupo foi registrada alguma alteração.
A pesquisa também possibilitou uma conclusão alheia às culturas de células. Como ficou provado que o efeito das músicas extrapola o componente emocional, é possível que haja uma diferença entre ouví-la com som ambiente ou fone de ouvido.
- Os resultados parciais sugerem que, com o fone de ouvido, estamos nos beneficiando dos efeitos emocionais e desprezando as consequências diretas, como estas observadas com o experimento - revela Márcia.


Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/ciencia/mat/2011/03/29/celulas-tumorais-expostas-quinta-sinfonia-de-beethoven-perderam-tamanho-ou-morreram-924114082.asp#ixzz1RS7kSvfz 
© 1996 - 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.  

3 comentários:

Keila Rocha disse...

Era só o que faltava, hahahahahaha....meu marido adorou a idéia da sinfonia, mas eu to mais pra celulazinhas....não tenho muita paciência pra este estilo musical....vixe!!!! Ai amiga, passei o dia lidando com comida, tô com os cabelos cheio de brigadeiro, hahahahaha....só agora tive um tempinho de passar por aqui....vem comer bolo amanhã aqui com a gente!!!! Vc falou de passar aqui qdo fosse pra Curitiba, AMEI a idéia, é só avisar qdo que preparo uns quitutes pra gente...não sabia q teu menino morava lá...precisamos colocar o papo em dia, viu? é só ficar uns dias sem entrar no msn que já fico desatualizada, hahahahahha....bjooooooooooooo.....

Adriana Ligia disse...

Olá, venho aqui pra lhe entregar um presente que recebi com carinho e que repasso com o mesmo as amigas blogueiras que nos dão força nos momentos dificies, passa no meun blog e pegue o seu selinho especial...Bjs.
http://adrianaligiaribeiroamorim.blogspot.com/2011/07/meu-primeiro-selinho-feliz-demais-da.html

Anônimo disse...

ESSE É MEU MSN GIKABILOBA@HOTMAIL.COM - VAMOS MANTER CONTATO TEMOS MUITA O QUE FALAR. GISLAINE SP

Postar um comentário

Obrigada por ler o blog, fico feliz que esteja aqui. Deus nos abençoe!!!!