sábado, 26 de novembro de 2011

Desculpinha pela ausência.

Não tem como não pensar.
Não há como não pirar, imaginar que coisas banais como uma dor, pura e simples dor, não seja a doença.
E eu sei que posso falar aqui com toda sinceridade, sem parecer, como disse no post anterior, pessimista ou paranoica. Aqui graças a Deus eu posso falar o que sinto, sem parecer fraca, pessimista, vitima e a coitadinha.
Eu tenho tido muita dor, dores daquelas de perder o juizo, a principio na região axilar, depois nas pernas e articulações como as que sentia quando fazia o taxol, pra finalmente, como nesta semana, a mal conseguir me levantar e andar. Ontem foi o ápice do sofrimento, nervo ciático disse o fisio, inflamação, sinal de alerta. E ai, não sem como não pensar na doença, mas as orações são sempre para que seja o nervo ciático, como todos os mortais deste mundo, a gente fica meio metido né, achando que é a ultima bolacha do pacote e porque teve câncer não pode ter mais gripe, pneumonia, dor de cabeça e essa dor fdp de nervo ciático. Quanta pretensão... Mas eu venci o taxol, passei por ele com muuita morfina, "pusque" que uma dor "di nada" ( eu chamei até mamãe) . Vai passar, e na segunda, vou tratar de fazer exames e mais massagens.
brigadim povo do face que ficou ontem comigo na hora mais difícil, foi aquele calorzinho que me fez adormecer ( e não os 34534754 analgésicos que tomei)
 E é  isso, o post é só pra justificar a ausência e prometer que em breve teremos cenas dos próximos capítulos, e até lá poderei compartilhar um projeto que me convidaram a fazer com vocês.
Beijos e um bom e abençoado domingo. Deus abençoe a todos nós.

10 comentários:

O SOL do amanhã... disse...

Lilian, amada!!!
O trauma que o câncer acarreta em nossas vidas é bem maior do que podemos avaliar, tanto que qq dorzinha que aparece logo se pensa do dito, "mardito", semana retrazada (eita falar com professora é foda, se sempre fica na dúvida se a palavra escrita tá correta, mas vc me perdoa néeeeeeeeeee?) o Ricardo teve uma virose e a barriga dava aqueles nós, ele me perguntava a cada ida no banheiro se não era o dito que tava no estomago, pq confundia as dores...é o medo, e acho que isso infelizmente irá nos acompanhar mesmo depois da cura 100%. Um bjo enorme pra vc...

Marina da silva disse...

lilian,
Infelizmente não conseguimos nos livrar das "metástases psicológicas", ou seja, ideias malucas que nos fazem ver o perrengue até num PUM fedorento! rsrsrsrs
Também passei por essa loucura! Vamu qui vamu, tome seus analgésicos, faça as massagens "garra cum DEUS" E CONTE COM NÓIS DA BLOGOSFERA! Força e Luz de Deus para ti e bjus. Marina

Cristina disse...

É Lilian esse fantasminha nos acompanha, tb fico com medo e " cabrera" com dores ou sintomas diferentes. Sei que tens sofrido e o que posso te ofertar são minhas orações e meu abraço virtual desejando suas melhoras e que essa dor vá embora. Fica com Deus amiga e que Ele te dê força! Bjssss

Lucia Lombardi disse...

Faco minhas as palavras da Cristina!!!

Tania Lyrio disse...

Amiga trace uma reta, e siga em frente.
Não olhe para os lados , faça questão de não ver as sombras,e mais importante,faça sua lição de casa .No mais 'que aja amor e nunca nos falte fé'.
Um beijo.

Adriana. disse...

Oi Lilian, estive lendo seu blog e percebi que nossos diagnósticos são muito semelhantes. Porém, minha história é mais recente, descobri em janeiro deste ano.( Mama avermelhada, inchada e com dor agulhada, parecendo mastite. É um tipo que inflama e dói e já é diagnosticado em estágio avançado.) Tenho muita fé e sei que estou superando, mas, mesmo assim, gostaria de trocar umas idéias contigo...
Por enquanto, um grande abraço e saiba que já está em minhas orações!!!

Adriana. disse...

Oi LILIAN!!!

Passei aqui pra te dizer que reslovi mudar o nome do meu Blog para: Uma História de Fé e o endereço ficou assim:

http://umahistoriadefesuperandocancerdemama.blogspot.com

Dá uma olhadinha lá e saberá porque não me viu usando lenços. kkkkk! Bjs! Fique com Deus!

Vera do sullllllll disse...

Olá!
Lilian, minha querida... ninguém merece sentir dor. Exija do teu medico remédios para não sofrer. A carga já é enorme...
Bjs
SAÚDE SEMPRE.

daniel disse...

Mesmo sem aparecer aqui no blog vc nunca está ausente, pois sua presença supera os imperativos limitantes do corpo, da dor, da náusea, do sofrimento. E esta presença nos anima acima da sua presença virtual aqui no seu blog pois sabemos de sua luta e de sua vontade, que é ainda mais imperiosa, junto com sua fé, para vencer tudo isso. Beijo, minha flor!

Sandra Regina disse...

OLÁ LILIAN! Não é nada fácil mesmo!!!!!!!!!estou na fase das dores da Taxol, é sinistro, e o pior é q ficamos chata de tanto tomar remédios e e nos contorcer. Tb tenho pirado de vez em qdo ñ posso sentir uma dor de garganta sequer q minha imaginação vai longe! Mas o importante q tenho experimentado no meu dia a dia é q ñ podemos perder a FÉ, é muito importante nos ligarmos constantemente com DEUS! Bjs virtual! Força!

Postar um comentário

Obrigada por ler o blog, fico feliz que esteja aqui. Deus nos abençoe!!!!