quinta-feira, 21 de junho de 2012

Sofrimentos. parte II

O sofrimento alheio nunca, jamais em tempo algum pode ser ignorado! No post anterior (link aqui) de 03 de junho. O tema foi muito discutido, justamente porque todo mundo conhece alguém que seja fútil, que reclama de coisas tão banais, enquanto o vizinho quer apenas um dia sem dor, sem enjôos, fora de casa, beijo de filho que está no céu e quantos outros perrengues que não são “privilégios” de pacientes oncológicos. Por isso não achem vocês que me acho no direito de falar por sê-lo. Deus me livre ser a dona da verdade, mal sou dona da minha nada mole vida, não tenho direito nem de ir e vir, quem dirá dar pitaco na vida alheia. Mas como ser humano, posso, através da vivência que tive, falar, contar do caminho que andei, das pedras que tropecei , das flores que colhi, do choro, da lágrima, do sorriso, da felicidade... Em? Felicidade? Alguém com câncer? Sim amados, odeio, odeio mesmo essa doença, mas descobri valores que não sabia existir, pessoas que jamais conheceria; preciosidades que em minha vida corrida de professora-pedagoga maluca, eu jamais encontraria. Tudo bem, eu também não conheceria a dor, a mutilação, a humilhação, o medo da morte eminente, o desamparo, o abandono. Uma coisa não compensa a outra, em tempo algum, mas eu prefiro valorizar o que de bom aconteceu pra pelo menos acalentar o coração. Sem ser Polyana, porque virar vaquinha de presépio aceitando tudo não tá com nada, não gosto estar doente, odeio os defeitos colaterais, mas também não ta com nada de se fazer de vitima do mundo. Escolhi lutar e se chorar o tempo todo, não enxergarei o caminho. Por isso que quando choro eu já sento, rsrsrsrs
Cada ser humano é único e como tal, tem suas limitações, suas aptidões, resiliência as adversidades da vida. Faz-se necessário saber a maneira que esta pessoa foi criada, a vida que teve, as pedras que a vida lhe ofereceu, as tempestades por que passou e o que ela fez pra passar por isso. Concordo totalmente com o pensamento:
Antes de julgar a minha vida ou meu caráter….calce os meus sapatos e percorra o caminho que eu percorri, viva as minhas tristezas, as minhas dúvidas e as minhas alegrias. Percorra os anos que percorri, tropece onde eu tropecei e levante-se assim como eu fiz. E então, só ai poderás me julgar. Cada um tem a sua própria história. Não compare a sua vida com a dos outros. Você não sabe como foi o caminho que eles tiveram de trilhar…
Por este ângulo, há que se cuidar em julgar a pessoa que reclama da unha encravada, ela pode estar querendo atenção; e quantos outros casos. E porque no mundo há tanta gente doente, inválida, passando fome, frio,que temos que vivermos infelizes por ter uma casa pra morar, um cobertor, um prato de comida, temos que ser agradecidos e caridosos;  mas vamos combinar que tem gente sem noção mesmo, que não tem motivo algum pra reclamar e fica falando, falando. Reclamando de coisas banais, de situações absurdas, se faz de vitimas em meio a N situações; tem ainda quem tem motivos pra reclamar sim, estão doentes, tem dor, privações, mas só reclamam, reclamam e acabam afastando quem se aproxima. Convivem com uma doença maldita como o câncer e mesmo assim fazem tudo errado, ou estão no fim do tratamento e ta ruim; tem até orgulho em dizer o MEU câncer isso, o meu Ca aquilo; que meu nada, eu digo, no meu caso... Porque essa doença maldita não é minha não, ta em mim, mas eu não estou com ela.
Não há manual de “ Como ser um ser humano perfeito em 10 passos”. Uma que não existem seres humanos perfeitos, graças a Deus. Somos seres inacabados e devemos buscar sempre a perfeição. Outro motivo, nem Jesus Cristo agradou todo mundo, porque nós pecadores agradaríamos? Mas da pra ter um pouco de simancol né?
E foi neste foco em que quis falar sobre sofrimento, o meu, o seu, o nosso, o do outro. Todos devem ser respeitados, mas alguns podem até ser ignorados e até dignos de pena, vale o bom senso em discernir. E saber como lidar com isso, sem querer ser superior, entende? Mas com amorosidade. Eu tenho essa paciência, já tive, não tenho mais. Estou errada? Estou. Tornei-me outra pessoa, mas umas das coisas ruins da doença é que eu não tenho mais paciência com futilidades, babaquices, mentiras, banalidades, imprudências, fiquei uma chata. Reconheço. Mas me policio pra não ser injusta. Policie-se você também, pra não ser soberbo, nem ser um ser sem noção, rebelde sem causa, um reclamão com motivo ou não.
Faça a empatia amores com o outro, revele o peso que o outro colocou em seu sofrimento, mas dentro do possível, dá um toque pro sem noção. E se o sem noção é você, amoreco, olhe algo mais que o seu umbigo, não sofra por causa de coisas banais, a vida é muito curta pra perder tempo com futilidades, não espere ficar com ela sobre um fio pra valorizá-la... Veja a vida como ela é. Lute, tenho força, garra, fé, você pode surpreender-se com o tamanho da fortaleza que existe em você. (post 03/06)
E se esta procurando um sentido pra vida? Assuma suas escolhas; seja voluntário em um hospital oncológico; visite um amigo, escute-o; faça artesanato, ria de si mesmo; compreenda seus pais, eles são de gerações diferentes e alguns deles não acompanharam a evolução do mundo; estude; faça algo por si; evolua; chore se precisar; desanime se está cansado; não se culpe; mas JAMAIS, nunquinha perca a vontade de viver, a capacidade de sonhar, de ter esperanças.
Pra finalizar a ultima citação( to cheia das citações hoje): Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu. ( do poema Quase, na integra aqui)

14 comentários:

Anônimo disse...

cada dia te admiro mais... força minha querida... beijo grande
Bia Karasiak
Florianópolis-SC

Anônimo disse...

Gostei muito do seu texto. É verdadeiro, diz exatamente o que acontece com quem passa por uma doença tão desgastante em todos os aspectos.Parabéns!!! Me tornei sua admiradora. Bjs
Magali Vargas
Rio de Janeiro-RJ

Marcia Lucas disse...

Sabe Lilian, nós nos cobramos muito depois de tudo que passamos e por tudo que as pessoas passam dá pra ser Polliana sim, dá pra ter dó de mim,quero mais ser boazinha para ver se escapo da dor,mas não me privo de dizer o que penso com mais delicadeza e ter meus momentos de felicidade mais com muito respito,acho que aprendi a pedir licença para a vida...

Anônimo disse...

Lilian querida,

Passei por um câncer de mama, há quase 6 anos.
É mto difícil, só noós sabemos o tamanho de nossa dor. \podemos e temos todo o direito de chorar, resmungar e ficar de mal com a vida. Somos humanos e temos sangue nas veias. Deus todo amor e bondade, compreende todo nosso sofrimento. Mas tudo passa e aí fica só uma lembrança triste dos acontecimentos, vc vai ver.
Como disse em outro coment. FORÇA e FÉ.
Você vai vencer.
Bjs Re

daniel disse...

Tua reflexão me reconduziu àquela passagem da vida de S. Francisco de Assis em que ele, há dias sofrendo com fortes dores, ouve de seu irmão assistente, compadecido de sua situação: "Pai, pedi a Deus que vos trate com mais brandura, porque sua mão parece pesar demais sobre vós". Ouvindo isso o santo levantou-se do leito, pôs-se de joelhos, beijou a terra, e dando graças a Deus protestou, alegando serem as enfermidades benefícios inapreciáveis.
Acho que estas palavras de São Francisco foram desvirtuadas ao longo do tempo e perderam seu real sentido. Na verdade, o espírito, que vivifica por detrás da letra que mata, dizia:
"Antes de julgar a minha vida ou meu caráter….calce os meus sapatos e percorra o caminho que eu percorri, viva as minhas tristezas, as minhas dúvidas e as minhas alegrias. Percorra os anos que percorri, tropece onde eu tropecei e levante-se assim como eu fiz. E então, só ai poderás me julgar."
Bjão no coração, deste seu amigo!

Eloiza disse...

sem palavras...amei bjos

licia dutra disse...

Comecei a ler,fui lendo e a cada post me dava vontade de ler mais...A dor e o sofrimento só tem o peso que nós damos a eles.Força na sua luta!Bjsss.

Andrea e Maki disse...

Vc é demais, com fé, força e vontade de viver sempre. Beijo enorme, Andrea

Vera do sullllll disse...

Olá!
Tenho um queridíssimo irmão enfermeiro.... E ele sempre me diz "cada um tem uma capacidade para suportar a dor"...pq agregada a dor física temos a dor da emoção, da alma, do coração, da falta de atenção, do abandono ou então da sensibilidade exacerbada. Não reclama da dor quem não a sente.
Respeitar a dor do outro é ser humano é ter compaixão...
Então com ou sem dor sejamos fraternos compreensivos e solidários!
Bjs
Daniel vc disse TUDO.

Anônimo disse...

Esta semana achei seu blog,e me emocionei muito com sua história. Este texto está maravilhoso!
Deus te abençoe! Meire - Cascavel

Neilse disse...

Amiga querida quero muito te conhecer, leio teu blog todos os dias. Minha mãe passou por um maldito câncer eu também odeio esta doença, ela esta em fase de tratamento com tamoxifeno vai p o segundo ano. Eu oro a Deus todos os dias e sei que ele vai te curar. Eu moro aqui em Marechal sou tua vizinha flor. Que o rei dos Reis senhor dos Senhores ouça sua voz incline os seus ouvidos e seja seu socorro bem presente e que venha a te CURAR. BJUS

Neilse disse...

Minha mãe quer te conhecer ela faz o tratamento no CEONC. Tadinha as vezes e tão mal e porcamente atendida, mas vai seguindo com fé e coragem sustentada pelas santas mãos de JESUS, um dia esta bem, no outro sente dores, no outro não come, mas esta firme. O danado do tamoxifeno judia mas se é p melhorar né vmos que vamos. Eu ligo eu xingo eu escrevo p o CEONC eu reclamo, eu já fui lá, eu falei com o médico que atende ela, não to nem aí eles estão lá p tratarem os pacientes bem. Meu email é neilse_@hotmail.com. Me escreva. Eu quero te visitar te conhecer conversar. falei demais rsrsrsrsrsrs

Neilse disse...

Minha mãe quer te conhecer ela faz o tratamento no CEONC. Tadinha as vezes e tão mal e porcamente atendida, mas vai seguindo com fé e coragem sustentada pelas santas mãos de JESUS, um dia esta bem, no outro sente dores, no outro não come, mas esta firme. O danado do tamoxifeno judia mas se é p melhorar né vmos que vamos. Eu ligo eu xingo eu escrevo p o CEONC eu reclamo, eu já fui lá, eu falei com o médico que atende ela, não to nem aí eles estão lá p tratarem os pacientes bem. Meu email é neilse_@hotmail.com. Me escreva. Eu quero te visitar te conhecer conversar. falei demais rsrsrsrsrsrs

Cristina disse...

É Lilian, muitas vezes ficamos impacientes com a dor do outro, suas reclamações quando passamos por coisas mais sérias. Mas como a Vera disse não podemos deixar de ter compaixão, ser cristão exige amor incondicional, ver no outro o próprio Jesus, a gente vai tentando, porque fácil não é mesmo. Te entendo bem. Que Deus te abençoe sempre! Bjss

Postar um comentário

Obrigada por ler o blog, fico feliz que esteja aqui. Deus nos abençoe!!!!